Minha Casa Minha Vida: Saiba Como Proceder Se Não Pagar Uma Parcela

0

Comprar um imóvel requer organização financeira, não é mesmo? E com o Programa Minha Casa Minha Vida não é diferente. Isso por que o planejamento do pagamento das parcelas do Minha Casa Minha Vida devem estar bem definidas para que não haja atrasos.

Porém, o que fazer quando as parcelas de pagamento do Minha Casa Minha Vida acabam ficando para trás?

Segundo a Lei 9.514, um banco pode iniciar um processo de execução extrajudicial em um contrato de financiamento depois de 30 dias de vencimento de alguma parcela ou de mais de uma parcela.

Por causa disso, o dono do imóvel tem até 15 dias para efetuar o pagamento da dívida. Sendo assim, vai ficar com a situação regularizada.

No entanto, as ações legais para que o imóvel seja retomado, podem ter um prazo ainda maior. Isso por que as instituições financeiras poder fornecer um prazo de três ou até mais parcelas em caso de atraso do proprietário.

Vale salientar que o prazo deverá ser conferido no contrato de comprado imóvel.

Em caso de não pagamento, o valor das parcelas será atualizado de acordo com o índice estabelecido no contrato.

Segundo a Caixa Econômica, a Faixa 1 do Minha Casa Minha Vida terá a cobrança de 1% por mês após a parcelas vender por 30 dias. Já para as demais faixas do Minha Casa Minha Vida, o índice de multa será de 2% partir da data de vencimento, junto com os juros.

Veja também:

Negociação do Minha Casa Minha Vida

minha casa minha vida

A Caixa Econômica tem um canal de atendimento exclusivo para os clientes que possuem débito com o Minha Casa Minha Vida. É através do canal Negociar Dívidas, que está disponível no internet banking, onde os clientes podem realizar a negociação de suas dívidas.

O sistema vai somar os valores que estão em aberto do Minha Casa Minha Vida e a pessoa que está devendo escolhe a data de pagamento do primeiro boleto e a data do restante das parcelas.

O primeiro boleto de pagamento do Minha Casa Minha Vida é gerado no momento que o acordo é fechado e os próximos serão mandados para o seu endereço.

Ah, e caso a família tenha uma diminuição muito grande de sua renda, existe a opção de usar o Fundo Garantidor de Habitação Popular (FGHab), que é o seguro obrigatório do Minha Casa Minha Vida.

Isso significa que nesse sentido, o dono do imóvel vai continuar com um valor de até 30% de sua renda pessoal e a diferença será paga pela seguradora.

O FGHab também paga a parcela do Minha Casa Minha Vida da pessoa que está desempregada por um período de até três meses. Ah, e a garantia pode ser prorrogada pelo período de até três meses.

E contudo, no final do financiamento do Minha Casa Minha Vida, os valores que ficaram para trás deverão ser pagos. Vale salientar que o limite de financiamento do seguro é de até três anos, ou seja, 36 meses.

Mais informações sobre o Minha Casa Minha Vida acesso o SITE DA CAIXA ou ligue: 0800 726 0101.

minha casa minha vida

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.